Um cantinho em Ipanema

Durante anos morei no Leblon e, então, quando mudamos para Ipanema, me senti órfã. Órfã do Cinema Leblon, da costureira ali do lado de casa, do moço da Cobal que ligava na véspera para levar verduras e, principalmente, órfã do Talho Capixaba. (Não vou nem discorrer sobre o Talho, uma preciosidade ali em plena Ataulfo de Paiva, pois já goza de ótima fama!)

Perambulei por Ipanema e por um tempo fui seduzida pelo Terzetto Café. Não me levem a mal, tudo lá é muito gostoso, mas ainda não era bem aquilo que eu buscava, sem contar que parecia bem mais caro que o Talho. Aí tentei o Cafeína, bacana também, mas bem mais restrito e no fim do dia volta e meia já tinha acabado o que eu queria (mas bem mais barato que o Terzetto).

Estava conformada com minha orfandade: em raras oportunidades quando passava pelo Leblon e conseguia um lugar para parar o carro, ia ao Talho e saciava minha vontade de croissants, presuntos, queijos e pastinhas deliciosas; ou então saboreava um empadinha de camarão ali no balcão (acho uma graça aquele suporte de madeira com a colher de café usados para servir a empada); e ainda trocava um dedo de prosa com a menina do caixa (todas sempre simpáticas).

E aí um dia, olhei pro lado e vi ali, bem ao lado do meu prédio, uma pequena loja, com uma mesinha alta na entrada, dois bancos e um balde de gelo com um garrafa de vinho dentro. Lá de dentro saiu um garçom carregando um pratinho com o que ao longe parecia presunto cru fatiado (era isso mesmo!); ele colocou o pratinho sobre a mesa, serviu as taças de vinho, deu um sorriso para os clientes e voltou para dentro da loja. Fiquei intrigada.

Alguns dias depois, estávamos indo almoçar na casa de uma tia e queríamos comprar um vinho. Entramos nessa lojinha. E assim, sem mais nem menos, me senti menos órfã.

A loja, Empório Grão & Cia., não é nem de perto tão grande quanto o Talho, nem possui tantas variedade quanto lá (ainda!), mas tem outras pérolas. (Em alguns aspectos, me lembra um restaurante/ delicatessen que existia na esquina da Ataulfo de Paiva com a Carlos Góis, onde hoje funciona um McDonald’s.)

No segundo andar da loja esconde-se um adega recheada de boas opções; a Kátia (sommelier) é um doce de pessoa, extremamente gentil e ótima na fidelização da clientela. Ela sempre tem uma novidade para apresentar (nada desses vinhos lugares-comuns que a gente vê por aí): com ela conheci o Blog – um português excepcional que não encontrei em lugar nenhum – a casta Corvina (a primeira garrafa que comprei com ela foi de um vinho da Croácia, que eu nem imaginava que fabricasse vinho, elaborado com corvina), comprei umas garrafas de Veuve du Vernay por um preço ótimo, enfim, ela me entende. Claro que o investimento é um pouco mais alto do o investimento daquele vinho Santa Helena que compra-se no mercado, mas para quem curte tomar vinho recomendo (fortemente!) dar um pulo lá.

No primeiro piso, as comidas: o balcão de frios é modesto no tamanho, mas com opções excelentes de queijos: ovelha, cabra, búfala, canastra, enfim, o suficiente para causar dúvida. Tem também umas massas congeladas pré-prontas (como a porção é bem servida, junte aí uma salada e temos o jantar para duas pessoas ficarem satisfeitas), fuet, presunto e outros produtos bem bacanas. Se você tiver alguma dúvida, pode perguntar ao dono – ele fica logo ali, cuidando do caixa, e está sempre disposto a ajudar, mostrar as novidades e escutar as sugestões.

O bacana da loja é que muitas opções são orgânicas, de produção local e/ou caseira e para quem tem restrição alimentar, eles tem algumas opções; por exemplo o macarrão de grão de bico, com baixo teor glicêmico, para quem tem que controlar a glicose.

Minha paixão é a massa de pizza integral que já tem azeite na própria massa: fica super crocante no forno elétrico, mesmo quando você (como eu) gosta de afogar a massa em molho de tomate. E aí, para não ter problema de faltar alguma coisa, já pode levar também o molho de tomate orgânico com manjericão (cheiroso, saboroso e com pedaços de tomate de verdade), um queijo de ovelha e o lanche de sexta-feira está garantido. (Ah! Fala com a Kátia e pede um vinho pra harmonizar.)

Enfim, um cantinho em Ipanema cheio de sabor.

(Empório Grão & Cia. End.: Visconde de Pirajá, 282 Loja C; Tel.: (21) 2513-4681;  http://emporiograoecia.com.br/ )

Anúncios

2 comentários em “Um cantinho em Ipanema

Já foi lá? Não foi, mas ficou curiso(a)? Curtiu o post? Me conta tudo aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s