3 sets a zero

Esse julho de 2016 tá agitado: novo presidente na Câmara dos Deputados, últimos preparativos para as Olimpíadas, Portugal sambando na cara dos franceses e comemorações, muitas comemorações – aniversários, casamentos, aniversários de casamento…

De todos os eventos, talvez o mais importante, sem o qual eu não estaria aqui hoje, seja o aniversário de minha Mãe – também conhecida como Minha Malvada Favorita. Dando continuidade à tradição de presenteá-la com “experiências” (já teve massagem, aula de culinária, salto de para quedas…) convidei-a para almoçar  em plena sexta-feira. O plano era curtir um intervalo de almoço mais longo para desfrutarmos do menu executivo do chef queridinho do momento, David Jobert.De cara posso dizer que o local ganha bonus points em custo-benefício: o menu inclui trilogia de entradas, prato principal e trilogia de sobremesas e sai por R$ 78. O chef é uma simpatia e tudo que provamos merece medalha de ouro. Ambiente e mesas pequenos, o requinte fica por conta dos pratos;  delícias preparadas em uma cozinha aberta ao fundo. A carta de vinhos é pequena, mas tem boas opções de tintos e brancos, em versão taça, meia garrafa e garrafa. 

Para começar, um amuse-bouche cortesia da casa – consommé de brócolis, um rico caldo de legumes saboroso, servido bem quentinho. Para beber, como ainda tínhamos que trabalhar à tarde, pedimos água e vinho branco em taça (R$ 26 – um Sainte Cécile bem leve).

As entradinhas vêm em pequenas porções no mesmo prato e nesse dia teve: salada verde com lascas de pato defumado – folhas frescas e uma quantidade generosa de pato, com sabor forte, mas que agrada até quem não é muito fã; salmão marinado servido com melaço de romã – um molho doce, com um quê de teriyaki, balanceando bem o sabor do salmão e ótimo com as fatias de pão francês que os garçons oferecem sem cerimônia; e fatia de queijo reblochon com azeite trufado – claro que no bistrô francês não poderia faltar um queijo fedorento, desses pouco conhecidos por aqui, de sabor muito marcante e que, por isso mesmo, não agrada a todos. Incrível sair do lugar  comum do brie e camembert, servidos pela maioria dos restaurantes, e poder aproveitar um queijo tão saboroso!

De prato principal do dia, eles tinham filé mignon (escolha de Mamãe), coxa de pato e peixe (confesso que nem prestei atenção à descrição do peixe, pois já havia sido fisgada pelo pato). Se as entradinhas vêm em mini porções, o prato principal é servido em quantidade generosa. O filé mignon, super macio e no ponto exato para a carne ficar rosa no meio, veio com bastante molho bordelaise, batatas e farofa de panko. O molho é consistente, super cremoso e bem temperado, desses molhos que pedem para você pegar um pedaço de pão e limpar o prato; as batatas estavam bem macias e a farofa vem servida numa panelinha de cobre fofa e estava muito crocante.

A coxa de pato era possivelmente a maior coxa de pato que já vi na vida, estava super macia e bem temperada, e vem servida com molho de especiarias (cremoso, com um leve toque mais picante, que deixa uma leve ardência na boca) e risotto de abobóra – grãos levemente al dente, bem cremoso e com pedacinhos de abóbora meio durinha ainda. Um ace culinário.

Para encerrar, trilogia de sobremesas. Mamãe, aniversariante do dia,  ganhou uma serie de quatro sobremesas, com direito a ‘parabéns para você’, vela com faíscas e prato decorado com ‘feliz aniversário’. Tivemos: salada de frutas (pedacinhos pequeninos de morango, manga e outros, servida geladinha e regada com muito suco de laranja); sorvete de iogurte com frutas vermelhas (levíssimo, uma mistura de doce e azedinho super refrescantes); crème brûlée catalana (casquinha crocante, do jeito que a Amelie Poulain gosta com leve toque de baunilha); e a sobremesa “brinde” da Mamãe foi o crème brêlée de chocolate (bem doce, com um leve gosto de ovomaltine).

Finalizamos com um cafezinho e saímos de lá prontas para fazer a propaganda boca a boca: almoço refinado em pleno centro da cidade, para comer sem pressa, e por um preço honesto. Foi de cara para o primeiro lugar do ranking!

L’atelier du Cuisinier – End.: Rua Theophilo Otoni 97 –  Tel.: 21 3179-0024 – http://www.davidjobert.com.br/

Obs1: Eles podem adaptar o menu para vegetarianos

Obs2: Durante as Olimpíadas funcionarão somente em Ipanema.

 

Anúncios

Já foi lá? Não foi, mas ficou curiso(a)? Curtiu o post? Me conta tudo aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s