O ano começa em pizza

Vou poupá-los (das mesóclises e) das clássicas frases de ano novo e das infames retrospectivas, seguindo logo pro que interessa: locais novos para conhecer em 2017.

Buscando um lugar para jantar e comemorar 6 meses de casados, mas já resignados com mais do mesmo, Marido e eu passamos por uma dessas esquinas de Botofago, que são como todas as outras, mas nessa, em específico, a casa ostentava uma pequena e discreta plaquinha dizendo “DOMENICA”.

O Marido sempre briga comigo quando eu grito e ele está dirigindo (“com razão”, vocês pensarão), então eu, calmamente, falei em voz baixa: “olha, acho que é um restaurante novo”. E, como em plena segunda-feira pós reveillon tá todo mundo meio sonado ainda, não foi difícil achar vaga por perto.

Um garçom muito solícito, que estava na porta, nos mostrou o cardápio e explicou que era uma pizzaria nova, com forno à lenha e que, por estarem em teste, não poderiam emitir cupom fiscal (sem problemas, desde que a máquina do cartão de crédito esteja funcionando).

Eles se instalaram em um desses casarões velhos nas ruas transversais de Botafogo, pé direito alto, com salão estreito; piso de ladrilho hidráulico e cimento queimado; paredes com pedra e reboco aparente; ao fundo, os pizzaiolos trabalham em uma cozinha pequena e exposta ao público por vidros impecavelmente limpos; no alto, uma prateleira com alguns ingredientes das pizzas estocados em grande quantidade: latas de tomate pelati, sacos e mais sacos de farinha vindos diretamente da Itália (pelo que, míope, pude ler de longe).
O cardápio é enxuto e com preços justos, assim como a carta de vinhos, que contém bons rótulos por menos de três dígitos. Pedimos um Montepulciano (R$94), água e copos com gelo (ficaram devendo as rodelas de limão). De entrada, burrata (R$35).

O vinho veio na temperatura ambiente (essa mesma, senegalesa, que vivemos no Rio de Janeiro no início de 2017) e tivemos que pedir para resfriar. A burrata demorou um pouco, mas, quando chegou, impressinou: um prato com burrata (fresca e super cremosa), baby rúculas e tomate seco; e para acompanhar: focaccia com  alecrim, quentinha, crocante, que deve ter sido feita na hora. A porção é bem servida e, considerando os excessos de fim de ano, devíamos ter parado por aqui.

Seguindo para o prato principal, queríamos pedir uma pizza meio a meio para podermos dividir. Feliz ou infelizmente, eles não fazem pizza com dois sabores, já que por conta dos ingredientes, cada pizza acaba tendo seu próprio timing.

Avaliei o custo benefício de pedir uma salada: poucas calorias por R$ 32; versus a pizza: muitas calorias por R$ 39 e uma potencial quentinha de café da manhã. Fui de pizza e o Marido também.

As pizzas são do tamanho de um prato grande (desses que você só come inteiro se não tiver almoçado) e não demoraram muito para chegar. Massa fina (mas não muito), com casquinha beeeem crocante (dessas que você realmente quer comer com azeite) e ingredientes frescos e bem  selecionados.

A minha era Castelluccio (R$39): com mozarella de búfala bem derretida, cogumelos shitake refogados, salsa e molho de tomate com pedaços. Uma pena que não consegui comer nem metade da pizza.

A do Marido era Carbonara (R$47) – isso mesmo, uma pizza com sabor de prato de massa italiana – e também veio impecável: um mix de três queijos bem cremoso e derretido (straciatella, grana padano e mozzarella de búfala), bacon defumado e linguiça bem torradinhos, cebolinha e um ovo estalado com gema cremosa bem no meio da pizza garantiram a felicidade do rapaz. É possivelmente a pizza mais pesada que você comerá em toda sua vida, mas vale muito a pena para os amantes de bacon, porco, ovo, carbonara….

As opções de sobremesa eram pizza de chocolate e tramisu na taça; mas como também não é preciso se afogar na jaca antes mesmo do carnaval, ficamos só no salgado.

O serviço é atencioso, mas ainda precisa de uma azeitada para ficar bom mesmo; os preços são justos e tudo que comemos estava gostoso. Assim como o sof opening do Domenica, a gente ainda não sabe o que vai acontecer em 2017, mas tá tudo com uma cara muito promissora.

(*Pesquisando o endereço na internet, acho que eles já têm uma casa aberta na Tijuca super bem falada na Francisco Xavier. A filial de Botafogo fica na esquina da Rua Capistrano de Abreu com a Rua Marques, ali na lateral da Cobal do Humaitá.)

Anúncios

Já foi lá? Não foi, mas ficou curiso(a)? Curtiu o post? Me conta tudo aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s