Sex and the City of Penedo

Adorava “Sex and the City”, tanto que até gostei dos (dois) filmes. Achei incrível quando a Miranda combinou de encontrar o Steve no meio da ponte do Brooklyn e, apesar das circunstâncias serem bem diferentes, me senti em um episódio do seriado quando combinei de encontrar o Marido em Penedo, um hipotético meio do caminho entre Rio e São Paulo.

Peguei o carro do meu pai emprestado, montei muitas playlists no Spotify, coloquei meus óculos escuros (sem grau) e lá fui eu para Penedo. Cheguei bem antes do Marido e fiquei passeando pela cidade: Penedo ostenta sua ‘colonização’ européia com orgulho e, em época de fim de ano, fica lotada de famílias inteiras, visitando o mercado de natal e esperando a chegada do Papai Noel.

O Marido chegou na hora do almoço e lá fomos nós buscar um lugar para comer. Escolhemos o restaurante Jardim Secreto, em parte por conta da descrição do prato de leitoa que vimos no site, e em parte por já conhecermos o Koskenkorva (restaurante finlandês famoso da cidade que super recomendamos a visita). Um pouco depois do centro mais cheio de Penedo, o Jardim Secreto fica numa agradável propriedade: casa com grandes janelas, cercada por grama e árvores, uma piscina na lateral e mesas dispostas em ambientes que antes eram as salas. Sentamos à mesa ao lado da janela e pudemos aproveitar o clima ameno da cidade, um alívio para quem vive sem ar puro, fechado no ar condicionado.

O simpático garçom logo trouxe o cardápio. Eu pedi um Portotonica (R$19,50) e escolhemos nossa entradinha: Camaranga (R$23). Servida numa fofa cocotte da Le Creuset, o prato que leva creme de abóbora, leite de coco, camarão, manga  e catupiry, tinha tudo para agradar, mas acabou deixando um pouco a desejar. O creme estava salgado demais, o leite de coco estava super apagado; o camarão veio em pedacinhos tão micros que foi difícil encontrá-los. O creme era bem consistente e os pedaços de manga eram a maior ostentação dessa entradinha.

Torcendo para não errar na próxima escolha, fui de costela e o Marido, claro, pediu o prato com leitoa .

A costeleta de cordeiro (R$89) estava super macia.  O molho de vinho do Porto com vinagre balsâmico era levememte adocicado, com toque de vinho ao fundo. Para acompanhar, risoto de ervas cremoso e al dente, que casava super bem com o molho de vinho.

Já o prato do Marido, a Leitoa Embriagada (R$65), realmente merece destaque no cardápio. Porco confitado, desfiado, molhadinho com crosta por cima bem crocante (pele pururucada com camada de gordura), servido em um formato de terrine.O molho era caramelado com a cachaça bem presente; para acompanhar, mix de batatas (que suspeitamos ser somente batata baroa) e cogumelo portobello. Prato super bem temperado com alecrim, tomilho, enfim, todas aquelas ervinhas que a gente gosta de ter na cozinha e deixam o prato ainda mais saboroso.

De sobremesa, fugimos das opções lugar-comum e apostamos na fruta: fomos de pêra ao vinho com creme de mascarpone (R$23). A pêra é cozida com cravo, canela e especiarias. Fica super macia e saborosa, servida em cima de leite de creme de mascarpone, que lembra muito o chantilly, e com pistacchios para dar uma crocância. Ótima pedida para quem já cansou de brownies de chocolate e panquecas de doce de leite.

Ambiente agradável, pratos com apresentação impecável e serviço atencioso: cenário perfeito de um episódio romântico da temporada, com participação especial desse almoço ligeiramente superfaturado e sem vinho.

Anúncios

Já foi lá? Não foi, mas ficou curiso(a)? Curtiu o post? Me conta tudo aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s